REFLEXÃO | UM FESTIVAL DE PROMESSAS


Satanás sempre foi um argumentador astuto.

Lembram do caso de Jó?



Estou convicto de que foi justamente para se resguardar de rebeldes como ele, (que poderiam levantar questões loucas como: “é mole ser perfeito sendo Deus e mandando em todo mundo...Quero ver ser criatura e obedecer!”) que Jesus esvaziou-se de Sua glória e nasceu numa suja manjedoura para mostrar a todos que vale a pena ser obediente.

Tenho certeza que isso serviu para calar a boca daquele "dragão fedido"! ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha-ha!

Bem...risos a parte, o que pretendemos aqui é refletir sobre como funciona a justiça de Deus, para podermos compreender mais do Seu caráter, que é tão perfeito, que chega ao ponto de preferir sofrer na própria pele a injustiça, só para não dar ocasião de ser chamado de injusto. 

Se Ele fez isso, é sinal de que não há nada mais importante pra Deus do que cumprir toda Sua Palavra de maneira Justa, pois disso depende o equilíbrio do Universo (Hb.1:3)

O fato é que , com a expansão notória do evangelho na mídia, através do rádio, TV, internet, muitos estão aproveitando para sair por aí dizendo que “Deus está falando e prometendo muitas coisas”. Foram tantas promessas que houve até um “Festival Promessas” em meio a um outro “festival de promessas” evangélicas.

“Promessas Evangélicas”...

Existe uma diferença enorme entre “promessas evangélicas” e as promessas de Deus. Muitas vezes as “promessas evangélicas” são até bíblicas, mas não correspondem àquilo que Deus deseja que a pessoa ouça naquele momento. 

http://eusr.files.wordpress.com/2011/08/foto2_21082011200758instabilidade-usuc3a1rios-geralmente-nc3a3o-conseguem-se-manter-no-emprego-em-razc3a3o-do-vc3adcio.jpg?w=284&h=300Imagine se você tivesse um filho viciado em crack, e viesse alguém em teu nome, dizendo que foi você quem mandou oferecer a ele mais uma pedrinha. 

Creio que você ficaria tremendamente irado não é mesmo!?

Agora imagine Deus, tendo filhos viciados em arrogância, orgulho, avareza, soberba e rebeldia, ouvindo alguém usando Seu nome em vão e pegando frases dEle fora de contexto para dizer aos Seus filhos que “eles não nasceram pra ser cauda e sim cabeça”; que “o lugar onde eles colocarem a planta do pé será deles”; e “quem os viu passar pela prova e não os ajudou, quando vê-los na bênção vão se arrepender e vão estar entre a plateia assistindo eles no palco...”  

http://www.geledes.org.br/images/stories/noticias/cartao_vermelho_copy.jpgPreciso dizer como fica o coração do Pai diante de uma situação dessas?

Os pregadores que fazem isso me lembram muito os “profeteiros” que viviam na época de Jeremias. “Porque desde o menor deles até o maior, cada um se dá à avareza; e desde o profeta até o sacerdote, cada um procede perfidamente. Também se ocupam em curar superficialmente a ferida do meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz.” (Jr.6:13-14)

Foi exatamente por isso que a primeira mensagem que Jesus pregou quando iniciou o Seu ministério foi: “arrependam-se, pois o Reino de Deus está próximo!” (Mt.4:17).

É verdade que ao longo de toda história bíblica, Deus se relacionou com o homem através de alianças. E que tais alianças sempre levavam do Criador uma promessa como garantia de Sua fidelidade.

Contudo, é importante enfatizar que a Bíblia não mostra apenas promessas de bênçãos. Aliás, lembram qual foi a primeira promessa de Deus nas Escrituras?

“Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” (Gn.2:17)

Promessa feita, promessa cumprida! 

Foto: Zybnec Maderyc

Depois da desobediência da humanidade, o pecado entrou na história do homem, e este se tornou mortal.

http://3.bp.blogspot.com/-4kzoEin7MRw/TfjmOG-TdOI/AAAAAAAAABY/cTzzsvFnoio/s1600/de+olho+no+problema.jpgEste fato já nos ensina muitas coisas sobre a seriedade de uma promessa de Deus.

Há uma outra importante promessa de Jesus, que nos oferece mais uma pista para entendermos sobre o caráter Divino: 

Todavia, digo-vos a verdade, convém-vos que eu vá; pois se eu não for, o Ajudador não virá a vós; mas, se eu for, vo-lo enviarei. E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não creem em mim; da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais, e do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado. (Jo.16: 7 -11)

Aqui vemos Jesus nos prometendo enviar o Consolador, que nos convenceria das nossas incredulidades contra Deus. Mas, o fator mais curioso dessa promessa, é saber que se o príncipe deste mundo já está julgado por causa da sua soberba, incredulidade, independência e altivez, há um juízo certo reservado para os homens que percorrerem o mesmo caminho de morte que ele percorreu!

"Justiça dos Homens" - Venâncio
Deus não julga conforme a "justiça dos homens". 

Ele não tem dois pesos e duas medidas.

Mesmo amando a humanidade, Ele não pode ir contra Seu juramento, pois é Justo em todos os Seus caminhos. (Sl.145:17) Se Ele julgou a serpente, sentenciando-a ao inferno por causa da Sua idéia louca de querer exaltar-se a si mesmo (Is.14:12-15/ Ez.28:12-19), também precisará fazer o mesmo com qualquer outra de Suas criaturas que se “meter à besta”. 

Aliás, “meter a besta” no meio sempre dá M..........morte!

Como você pode notar, Deus não tem compromisso de cumprir apenas com Suas promessas de bênçãos, descansos e triunfos. Ele também cumprirá todas aquelas promessas que nós não gostamos tanto de ouvir, como por exemplo essa promessa aqui: 

"Quem quiser salvar a sua vida, a perderá. mas quem quiser perder a vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará." (Mc.8:35)
http://4.bp.blogspot.com/-nf4gMbmlDWI/TgR8mkUqTuI/AAAAAAAAAV0/G7dg31EDmQo/s1600/oracao251.jpg
Ou seja, salvação é uma promessa apenas para aqueles que se enquadrarem nesta condição de Jesus. E é por causa dessa promessa que o Messias ordena que todos se arrependam de viver para si mesmo e passem a viver para Deus.

Viver para Deus não é viver pedindo por bênçãos, curas e milagres; viver para Deus não é frequentar uma igreja ou ter uma religião cristã; viver para Deus não é “andar certinho” pra tomar a santa ceia... Não!

Viver pra Deus é “amar menos a seu pai, mãe, mulher, filhos, irmãos, irmãs, amigos e ainda também à própria vida”, para colocar Cristo e Seu evangelho em primeiro lugar. (Lc.14:25-27;33)


http://comofas.com/wp-content/uploads/2011/12/Casal_discutindo_brigando1.jpgÉ negar a si mesmo... 
...E tomar a decisão de dizer não para tua vontade, tua opinião e teu propósito, abandonando o conforto, ou até uma ”vitória”, para ganhar a verdadeira guerra contra teu orgulho e altivez
http://2.bp.blogspot.com/-UbNWI67k-wU/Tq01iCVnvsI/AAAAAAAAAd8/xDiNhlgaxhU/s400/crianca_nervosa.jpg


É Tomar a cruz... E crucificar a rebeldia e a insujeição que está dentro de você, a fim de se tornar submisso às autoridades e obedecer inteiramente a Deus;


http://www.marciafernandes.com.br/blog/wp-content/uploads/2011/03/BLOG-GRANDE-INTERNO_PONTES-QUE-UNEM.jpg
É Perder a vida... E sair do centro, abandonando o “eu” do egoísmo e do egocentrismo, para viver dependente do “Grande Eu Sou”;



http://2.bp.blogspot.com/-BPotD8kVV-E/ThRvKFiLIpI/AAAAAAAAKuc/wKOacIVVRK8/s1600/avareza.jpgÉ Renunciar a tudo... Sem estar mais apegado às coisas deste mundo, dando um golpe final no ciúme, na ira, na avareza e na inveja;

Justamente por causa de Sua justiça e do Seu alto nível de sacrifício, que Jesus não permitirá que as pessoas se iludam com um evangelho de bênçãos, que pensa apenas nos benefícios e ignora os deveres. Às vezes Suas palavras precisarão soar como um “soco no estômago” das pessoas interesseiras:

Jesus respondeu: "A verdade é que vocês estão me procurando, não porque viram os sinais miraculosos, mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos. Não trabalhem pela comida que se estraga, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem lhes dará.". (Jo. 6:26-27)


Não se iludam com um “festival de promessas”... Mas, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido (1Pe.5:6).

Não utilizem expressões bíblicas para benefício próprio...
E lancem sobre Ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês. (1 Pedro 5:7)

E não se sirvam do reino, mas sirvam ao Rei!!

Shalon Aleikhen! 
(Paz sobre vós!)

Glauber Morada
Líder do Ministério Tribo Coral

_____________________________________________________________

REFLEXÃO | VENCENDO A RELIGIOSIDADE

 
“Contudo, muitos dentre as próprias autoridades creram nele; mas por causa dos fariseus não o confessavam, para não serem expulsos da sinagoga; porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus.”   (Jo.12:42-43.)

Neste texto o Apóstolo faz um comentário sobre os homens que, apesar de crerem em Jesus, por causa do status e da posição diante das pessoas, não se entregavam para Ele, e nem o confessavam publicamente, por amarem mais a glória dos homens do que a glória de Deus.

Assim, descobrimos que:
A religiosidade consiste em amar mais a glória dos homens do que a glória de Deus. Assim, a pessoa movida pelo espírito de religiosidade faz as coisas de Deus, porém, de forma inconsciente, ela é levada a fazê-las somente quando há possibilidade de alcançar status, posições, títulos, fama, notoriedade. Se estas coisas não estiverem em jogo, a motivação da pessoa em obedecer ao Senhor se vai. (Mt.6:3-21)

 Há também aqueles que querem simplesmente se sentir melhor que os outros, e por isso apelam para um estilo de vida religioso que os caracterize como pessoas separadas daqueles que eles consideram impuros ou imperfeitos. (Lc.18:11)

E, por fim,  há uma classe de reliogiosos muito comum entre todas as outras: aqueles que são extremamente apegados a vãs tradições passadas pelos pais e antepassados, que, por causa do apego, do orgulho, da altivez e da vaidade, não procuram buscar a Verdade libertadora que está na Palavra de Jesus. (I Pe.1.18).
  
"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus."(Mt.7:21)

A parábola de Mt.13:24-30 nos fala que o semeador (Jesus) semeou uma boa semente (o evangelho do reino) na terra, porém, enquanto os outros dormiam o inimigo semeou o joio (religiosidade). Essas duas sementes cresceram juntas durante toda a história da igreja, porém no final dos tempos Deus separará somente o trigo para guardar no celeiro e queimará o joio. Então, para que não corramos o risco de  servirmos ao Senhor com a motivação errada e vivermos como o joio, observemos as características principais destas duas sementes:


AS DUAS SEMENTES (Mt.13:24-30)
DÊ DOIS CLIQUES EM CIMA DO QUADRO PARA LER

TRÊS TIPOS DE RELIGIOSOS

A Bíblia nos mostra três tipos diferentes de religiosos, são eles:

1- O ímpio Religioso (1Sm.2:12-17) – O melhor exemplo de ímpio religioso são os sacerdotes Hofni e Finéias, os Filhos de Eli. Mesmo sendo eles filhos do Sumo sacerdote do templo, eram extremamente ímpios e não conheciam ao Senhor, faziam coisas absurdas, mas ainda assim, ministravam perante a Arca da Aliança (1Sm.4:4)

2- O Religioso Padrão (Mt.3:7 – Mt.16:6/12) – Pessoas que, quando estão no meio da igreja, cumprem suas obrigações religiosas, mas do lado de fora, vivem uma realidade totalmente  oposta àquilo que Jesus fez e ensinou , pois não obedecem a voz do Espírito Santo e tampouco conhecem a verdadeira vontade de Deus (Is. 1:2-17). A Bíblia nos mostra diversos exemplos de pessoas assim, porém os dois grupos mais conhecidos, e que continuam presentes na cultura cristã ainda hoje são: 

Fariseus (Mt:12:38 – Mt.23:23) – Pessoas legalistas e detalhistas que procuram cumprir as regras e tradições antigas sem questionar a sua real utilidade. Pessoas que não agem segundo o raciocínio da graça de Deus e sim segundo a lei; gostam de ver manifestações do poder de Deus, mas não agem segundo a misericórdia e a graça do Pai. 

Saduceus (Mt. 22:23 - At.23:8) – Pessoas liberalistas, incrédulas e racionalistas, que por não acreditarem em determinadas verdades bíblicas acabam gerando explicações inadequadas para validar seus conceitos. Não se baseiam nas direções dadas por Deus através das manifestações e dons do Espírito, mas antes detém sua conduta somente com base em seus ensinos e tradições.

3- O Filho Religioso (Lc.15:25) – Este é o tipo de religiosidade que nós mais devemos ter cuidado, pois o filho de Deus religioso faz as coisas pro Pai com a motivação completamente errada, e, apesar de ser filho, habitar na casa do Pai e conhece-lo superficialmente, tem dificuldades de se relacionar com os irmãos, é arrogante, ciumento, orgulhoso. Um exemplo claro de Filho religioso é o irmão do Filho Pródigo da parábola de Lucas capitulo 15. Vamos ler o texto e aprender um pouco com as atitudes deste personagem tão importante:

Lucas 15
25 “Ora, o seu filho mais velho estava no campo; e quando voltava, ao aproximar-se de casa, ouviu a música e as danças; 26 e chegando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. 27 Respondeu-lhe este: Chegou teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo.28 Mas ele se indignou e não queria entrar. Saiu então o pai e instava com ele. 29 Ele, porém, respondeu ao pai: Eis que há tantos anos te sirvo, e nunca transgredi um mandamento teu; contudo nunca me deste um cabrito para eu me regozijar com meus amigos; 30 vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado. 31 Replicou-lhe o pai: Filho, tu sempre estás comigo, e tudo o que é meu é teu; 32 era justo, porém, regozijarmo-nos e alegramo-nos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado.”

Se analisarmos o texto, veremos que ele contém informações importantíssimas.Vejamos os principais erros cometidos pelo irmão do filho pródigo e que também são comumente cometidos por crentes religiosos em todo lugar.


PRINCIPAIS ERROS COMETIDOS 
PELO IRMÃO DO FILHO PRÓDIGO:

NÃO QUIS SE ALEGRAR COM O PAI (v.25-28) – Ouvir as músicas, as danças e o clima de alegria não contagiou o irmão mais velho do filho pródigo. Pelo contrario, quando ele soube que o motivo da festa era o arrependimento do seu irmão que havia voltado para a casa do Pai ele se indignou. Da mesma maneira, os religiosos também não se importam sinceramente com o arrependimento e a salvação dos perdidos, pois estão mais preocupados com suas próprias opiniões. Este tipo de atitude traz dureza de coração, já que filhos assim rejeitam a possibilidade de se alegrar com o Pai na salvação dos outros para ficar julgando se o ambiente é favorável àquilo que ele julga ser correto.

PEDIU ESCLARECIMENTO AOS CRIADOS E NÃO AO PAI (v.26) – No texto vemos que, ao invés do filho procurar o Pai para obter esclarecimento e revelação do que estava se passando, ele chamou um criado. De fato, um religioso se relaciona mais com os servos do Pai do que com Deus. Tem mais facilidade de fazer as coisas de Deus do que ouvi-lo e adora-lo. Tem maior facilidade de falar das coisas de Deus do que falar com Ele e ouvir a Sua voz. Um bom exemplo disso é visto em Marta (Lc.10:38) irmã de Maria, que estava ocupada demais para ouvir os bons conselhos do Mestre.

SE VIU COMO ESCRAVO E NÃO COMO FILHO (v.29) – Um religioso tem mentalidade de escravo e não de filho (embora saiba que é filho),porque faz as coisas para Deus como um peso e não como privilégio. Pessoas assim não sentem sincera satisfação nas coisas de Deus, porém cumprem com todos os afazeres para não correrem o risco de perder a benção.

ACHOU QUE ERA MELHOR QUE SEU IRMÃO (v.29)- Todo religioso tem uma mentalidade equivocada de si mesmo, e se acha melhor que os demais. Pessoas assim procuram ser perfeitinhas diante da sociedade e, normalmente, não aceitam os erros cometidos pelos outros. Na mente de um religioso, um erro não é uma experiência negativa capaz de trazer arrependimento e amadurecimento. Para uma mente assim, os erros não merecem perdão e reconciliação e sim punição. Por isso o irmão do filho pródigo indignou-se com a festa; na cabeça dele fazer festa por um pecador arrependido é desperdício. Mas todos nós sabemos que, na verdade não há crescimento sem erros. Quem não sabe lidar com os erros dos irmãos e se vê como alguém que não pode errar está muito equivocado sobre a natureza humana. (Rm.3:23)

FOI INGRATO COM O PAI (v.30) – mesmo morando na casa do Pai e tendo direito a toda herança, o filho mais velho achou que nunca tinha recebido nada. Uma pessoa assim tem dificuldade de entender e receber a graça de Deus, e por isso se vê como um coitado que trabalha e nunca prospera. O Pai vê o patrimônio como sendo de todos, porém o religioso acha que determinadas coisas são recebidas de Deus por causa do nosso merecimento pelo bom trabalho realizado na obra dEle. Uma pessoa assim não usa de sua liberdade cristã por ter mentalidade de escravo e critica quem faz uso delas.
  
TRATOU O IRMÃO COMO UM DESCONHECIDO (v.30) – Tem dificuldade de ter comunhão com aqueles que não considera ser como ele. Tem dificuldade de tratar as pessoas com graça e misericórdia e enxerga todos os que não fazem o que ele faz como perdidos. O religioso usa ele mesmo como base de comparação para alcançar a justiça, se ele sofre pra alcançar as bênçãos os outros também devem sofrer. Ele acha que merece mais que os outros pelo seu esforço ou antiguidade (parábola dos trabalhadores – (Mt.20:1-15)

PRINCIPAIS SINTOMAS DE RELIGIOSIDADE
  1. É radical demais ou liberal demais, não tem equilíbrio que agrade à Deus;
  2. Tem pouco prazer em orar sozinho, ora melhor em público.
  3. Tem pouco prazer em ler a Bíblia para conhecer a Deus, mas se sente motivado a lê-la quando vai ministrar.
  4. Tem pouco ou nenhum prazer em adorar a Deus espontaneamente, prefere louva-lo ou adora-lo por meio de cânticos ou metodologias;
  5. Não busca agradar a Deus e desagradar a si mesmo ou aos homens, mas antes busca inconscientemente ser aceito e reconhecido pelos homens mesmo que para isso Deus seja menos favorecido;
  6. Pauta suas opiniões baseados nas tradições ou não nas escrituras, pois a estuda apenas para justificar suas opiniões e não para conhecê-la profundamente;
  7. Valoriza mais o “ser visto” do que o “servir”;
  8. Geralmente são avarentos, não se gastam para ajudar os outros
  9. Tem vontade de fazer o que a igreja proíbe, mas critica quem o faz.
  10. Facilmente tem problemas com as pessoas;
  11. É perfeccionista, não se permite errar (principalmente em público, geralmente não se incomoda de errar em particular)
  12. Não confessa pecados a outros irmãos mais maduros com medo de ser exposto ou disciplinado ou por não ver que ninguém seja apto ou maduro o suficiente para ouvi-lo...
  13. Tem muita dificuldade de se humilhar, pedir perdão publicamente.
  14. Gosta de grandes aglomerações, não tem a mesma motivação para ministrar em reuniões pequenas;
  15. Sente orgulho pelas coisas que faz de bom e é crítico com os que não as fazem;
  16. Não faz avaliações sérias de sua própria vida com Deus;
  17. Sempre que pode fala de suas virtudes em público, mas omite seus defeitos;
  18. Não consegue se concentrar facilmente na hora da ministração, a menos que esteja ministrando
  19. Durante uma ministração, tem hábito de pensar: “se fulano tivesse aqui pra ouvir isso”


COMO SAIR DA RELIGIOSIDADE
  • Negar a si mesmo e fazer a vontade de Deus sempre (Lc.9:23)
  • Adquirir mentalidade de filho (Jo.1:12)
  • Se mover pelo amor e não pelo medo (1Jo.4:18)
  • Receber as bênçãos como dádiva e não como dívida (1 Co.10:31)
  • Fazer as coisas para servir e não para ser visto (Mt.20:27-28)
  • Buscar comunhão completa com Deus através do Espírito Santo (Jo.16:13)
  • Ler a Bíblia não somente para ensinar ou ministrar, mas para conhecer a Deus (Os.6:3)
  • Ofertar ou ajudar o próximo para adorar e não para cumprir obrigações (2Co.9:7/Mt.6:3)
  • Jejuar para agradar a Deus e não para se vangloriar em si mesmo (Mt.6:16-18)
  • Orar em secreto o maior tempo possível (Mt.6:5-6)


Glauber Morada
Líder do Ministério Tribo Coral

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Dcreators